-

-

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Misteriosos círculos gigantes de pedra no Oriente Médio


Esse é o círculo apelidado de J2 visto a partir do ar. Tem cerca de 390 metros de diâmetro.

Enormes círculos de pedra descobertos por via aérea no Oriente Médio foram fotografados com alta resolução para revelar sua idade e outros detalhes intrigantes.

Há décadas, arqueólogos na Jordânia tentam entender o que são esses círculos, chamados de “Big Circles” (Grandes Círculos). Onze deles, construídos com muros de pedra, foram descobertos na região em 1920 por aviões, e até hoje os cientistas não têm certeza da sua finalidade.

Desde então, pouca investigação havia sido feita sobre as estruturas. Agora, as novas imagens aéreas sugerem que os círculos foram criados pelo menos dois mil anos atrás, possivelmente datando de tempos pré-históricos.

Os círculos

Um poço expondo várias camadas da parede de pedra do círculo J3 pode ser visto na imagem abaixo. Os pesquisadores acreditam que uma dúzia de pessoas, trabalhando duro, poderia construir um círculo desses em aproximadamente uma semana, embora a criação de uma forma tão precisa fosse algo bastante complicado.


No geral, esses grandes círculos são parte de uma paisagem rica em estruturas de pedra, como as chamadas Rodas (estruturas com raios irradiando para fora) e Papagaios (estruturas de pedra usadas para canalizar e matar animais).

A fim de descobrir para que esses misteriosos círculos eram usados, os arqueólogos ainda precisarão fazer muito trabalho de campo.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

João Candido, integralista e líder da Revolta da Chibata!



Autor: Guilherme Jorge Figueira do Blogue História do Partido de Representação Popular.

No dia 28 de março de 1968, através do ciclo de História Contemporânea do Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro, foi registrado um depoimento de João Cândido, líder da Revolta da Chibata, com o objetivo de resgatar a memória histórica do líder negro salvando-o da extinção e o consagrando como uma das principais fontes de informação sobre o assunto.

Participaram da entrevista o historiador Helio Silva, a jornalista Dulce Alves, o superintendente, Sergio Junqueira e o diretor executivo do museu Ricardo Cravo Albim, além do filho caçula de João Cândido.

A entrevista que deveria ocorrer de forma organizada, se transformou em um verdadeiro interrogatório promovido pelo historiador Helio Silva, (figura critica da Ação Integralista Brasileira). As perguntas foram feitas de forma anacrônica, em diversos momentos foram interrompidas por outras perguntas causando confusão deixando perguntas (algumas relevantes) sem respostas. Até os dias de hoje, nenhum pesquisador veio a publico criticar a forma em que foi administrada esta entrevista.

Algo, porém surpreendeu o pesquisador Helio Silva durante a entrevista: a afirmação emblemática do líder negro João Cândido que pertenceu às fileiras da Ação Integralista Brasileira – AIB e que até hoje se considera Integralista, demonstrando que as afirmações feitas pelo próprio Helio Silva em seus trabalhos sobre Integralismo, onde afirma que o Integralismo é racista e autoritário não condizem com a verdade, uma vez que a presença do principal integrante da Revolta da Chibata é negro e defensor da democracia.

Em 1933, João Cândido, ingressou na Ação Integralista Brasileira, tornando-se um dos principais lideres do movimento no Rio de Janeiro. Em julho de 1937, passou a fazer parte da Câmara dos Quatrocentos, importante órgão da AIBque congregava diversas personalidades do movimento, demonstrando desta forma o caráter democrático e diferenciado de outros movimentos políticos brasileiros da sua época.

Aos que desejarem ter acesso ao depoimento na integra, poderão se encaminhar ao MIS-RJ, localizado na Praça Luiz Souza Dantas (antiga Praça Rui Barbosa), 01, Praça XV, Rio de Janeiro.

Casa do Brasil na França

A Casa do Brasil na França abriga permanentemente, no mínimo, 120 brasileiros que desenvolvem pesquisas em instituições parisienses.
Outra função da instituição é divulgar a cultura brasileira no universo de mais de cem nações representadas na cidade universitária, através, sobretudo de conferências, concertos e exposições. O local recebe visitas de pessoas do mundo inteiro, além de ser objeto de teses de pesquisadores que fazem doutorado em arquitetura e em história da arte. Anualmente, o prédio é visitado por centenas de pessoas.
Tombada pelo Patrimônio Histórico da França, a Casa brasileira foi construída a partir de um projeto conjunto dos arquitetos Lúcio Costa e Le Corbusier, inaugurada em 1959, na cidade universitária de Paris.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

O que é Ocultismo?



Atenção, importante nota! Para aqueles que já conhecem o CHH sabem que o mesmo é voltado para a busca do conhecimento, e que isso não significa prática ou aceitação das informações expostas. Pois, primordialmente para todos os efeitos devemos conhecer tantos nossos aliados, como adversários, conhecer as filosofias que apoiam nossas crenças e posicionamentos como aquelas que não apoiam para que no final possamos saber o que criticamos ou contra o que ou quem realmente estamos lutando ou trabalhando juntos.

Ocultismo (ou ciência oculta) é um conjunto de teorias e práticas cujo objetivo seria desvendar os segredos da natureza e do Homem, procurando descobrir seu aspecto espiritual e superior. Ele trata do que está além da esfera do conhecimento empírico, o que é secreto ou escondido. O ocultismo está relacionado aos fenômenos supostamente sobrenaturais. Ocultismo é um conjunto vasto, um corpo de doutrinas supostamente proveniente de uma tradição primordial que se encontraria na origem de todas as religiões e de todas as filosofias, mesmo as que, aparentemente, dele parecem afastar-se ou contradizê-lo.O Homem aqui retratado seria um supostamente completo e arquetípico, composto não apenas de corpo, mas também de emoção, razão e alma (como divide a cabala).Segundo algumas tradições ocultistas as religiões do mundo teriam sido inspiradas por uma única fonte sobre-natural. Portanto, ao estudar essa fonte chegar-se-ía a religião original.Muitas vezes um ocultista é referenciado como um mago. Alguns acreditam que estes antigos Magos já conheciam a maior parte das descobertas da ciência, tornando estas descobertas meros achados.

Definição e escopo

Na ciência oculta, a palavra oculto refere-se a um "conhecimento escondido" ou "conhecimento secreto", em oposição ao "conhecimento visível" ou "conhecimento mensurável" que é associado à ciência convencional.

Para as pessoas que seguem aprofundando seus estudos pessoais de filosofia ocultista, o conhecimento escondido ou oculto é algo comum e compreensivel em seus símbolos, significados e significantes. Este mesmo conhecimento "não revelado" ou "oculto" é assim designado, por estar em desuso ou permanecer no index das culturas atualmente, mas originalmente no século XIX era usado por ter sido uma tradição que teria se mantido ocultada da perseguição da Igreja, e da sociedade e por isso mesmo não pode ser percebido pela maioria das pessoas.

Mesmo que muitos dos símbolos do ocultismo, estejam sendo utilizados normalmente e façam parte da linguagem verbal ou escrita (p.e. a palavra abracadabra seria uma palavra de poder), permanecem assim, oculto o seu significado e seu verdadeiro sentido. Desta maneira, tudo aquilo que se chama de "ocultismo" seria uma sabedoria intocada, que poucas pessoas chegam a tomar conhecimento, pois está além (ou aquém) da visão objetiva da maioria, ou de seu interesse.

O ocultismo sempre foi concebido desde o início, como um saber acessível apenas a pessoas iniciadas (ou seja, para aquelas que passaram por uma "iniciação"; uma inserção num grupo separado do comum e do popular; ou mesmo uma espécie de batismo, onde as pessoas seriam escolhidas, então guiadas e orientadas a iniciar numa nova forma de compreender e pensar o já se conhece, supostamente transcendendo-o).

Contudo, sempre houve curiosos de várias época, que foram capazes de especular à respeito do Ocultismo, sem que este conhecimento se tornasse algo comum em suas vidas. Embora o Ocultismo sempre exigisse da pessoa que o estudava, uma posiçao e atitude pessoal diversa daquela que a maioria das pessoas assumia. Por isso mesmo, que os estudiosos desta filosofia não eram bem vistos (acusados de pagãos, bruxos(as), místicos, loucos, rebeldes), sendo excluídos, perseguidos e condenados.

Com certeza eram em sua maioria, muito mal compreendidos. O ocultismo tem como escopo de estudo o que seriam energias e forças psíquicas, suas fontes e seus efeitos, assim como os seus canais de atuação e seus efeitos produzidos na consciência do Homem. Segundo os ocultistas a ciência oculta estuda, ao contrário da ciência tradicional, a natureza em sua totalidade, assim como as relações entre a natureza e o Homem. Principalmente por professar uma dimensão espiritual, ou sobre-natural, algo que nunca foi empiricamente demonstrado e por tanto não reconhecido pela ciência.

Do ponto de vista de quem o professa a percepção do oculto consiste, não em acessar fatos concretos e mensuráveis, mas trabalhar com a mente "transcendendo-se" e o espírito. Ocultismo assim supostamente refere-se ao treinamento mental, psicológico e espiritual que permite um "despertar" de certas faculdades ocultas, ou, na visão da ciência tradicional, algum tipo de ilusão ou hipnose auto-induzida.

Origens, influências e tradições

O ocultismo está relacionado com o misticismo e o esoterismo e tem influências das religiões orientais (principalmente Yoga, Hinduísmo, Budismo, e Taoísmo).O ocultismo teria suas origens em tradições antigas, particularmente o hermetismo no antigo Egito, e envolve aspectos como magia, alquimia, e cabala.

História recente

As raízes mais antigas conhecidas do ocultismo são os mistérios do antigo Egito, relacionados com o deus Hermes ou Thoth. Por isto, frequentemente o ocultismo é referido como hermetismo.Na Idade Média, principalmente na Península Ibérica devido a presença de muçulmanos e judeus, floresceu a alquimia, ciência relacionada com a manipulação dos metais, que segundo alguns, seria na verdade uma metáfora para um processo mágico de desenvolvimento espiritual. Tanto a alquimia quanto o ocultismo receberam influência da cabala judaica, um movimento místico e esotérico pertencente ao judaísmo.Alguns destes ocultistas medievais acabaram sendo mortos na fogueira pela Inquisição da Igreja Católica, acusados de serem bruxos e terem feito pacto com o diabo.

O ocultismo ressurgiu no século XIX com os trabalhos de Eliphas Levi, Helena Petrovna Blavatsky, Papus e outros. Mas trabalhos relacionados a cabala relacionados durante toda Idade Média. E de alquimia na Baixa Idade Média.

domingo, 9 de novembro de 2014

Fenícios


As condições geográficas

Os Fenícios viverem em uma estreita faixa de terra, representada hoje pela República do Líbano, estendia-se por aproximadamente 200 quilômetros, comprimida do lado leste pelos contrafortes das montanhas do Líbano e a oeste pelo mar Mediterrâneo.

Salvo o fundo dos vales, onde os fenícios podim aprovpela agricultura, tudo o mais são planícies secas, nas quais os pastores apascentavam o gado, ou encostas de montanhas onde crescia em abundância o cedro, madeira ideal para a navegação.

As cidades-Estado da Fenícia

Os fenícios jamais chegaram a fundar um reino unificado sob as ordens de um só mandatário, como aconteceu com os outros povos. A rivalidade entre as cidades- Estado levou-as, no máximo, a constituir uma confederação. A cidade de Biblos alcançou prestígio por volta de 2500 a.C., espraiando seu comércio e poderio por uma grande área do Mediterrâneo. Sidon teve o seu período por volta de 1400 a.C., mantendo durante séculos sua supremacia sobre todo o comércio realizado no mar. Finalmente, coube a Tiro alcançar a hegemonia marítima, tendo acesso às rotas mais longínquas.

Mais tarde, os fenícios entraram em decadência, caindo sob o domínio dos assírios, babilônios e, finalmente, dos persas. A colônia fenícia de Cartago, no norte da África, subsistiu até o século II a.C., quando foi destruída pelos romanos no final das Guerras Púnicas.

As atividades econômicas e a sociedade fenícia

Provavelmente, os fenícios eram semitas provenientes da Caldéia. A Natureza deu a esse povo uma opção: ou restringir-se aos minguados recursos da agricultura, ou lançar-se ao mar, em busca do sustento que as terras não proporcionavam. A proximidade do Egito, com sua grande produção de cereais, a abundância de madeira de cedro e um litoral extenso fizeram dos fenícios hábeis navegadores.

Os fenícios desenvolveram extraordinariamente o artesanato comercial, produzindo em série objetos facilmente negociáveis no mundo antigo, tais como armas, vasos, adornos de bronze e cobre, tecidos e até mesmo objetos de vidro, que alcançavam ótimos preços. Conheciam todas as rotas de navegação do Mediterrâneo e, transpondo o Estreito de Gibraltar, alcançaram as Ilhas Britânicas. Chegaram mesmo a fazer uma viagem de circunavegação da África, a soldo de um faraó egípcio.


  As galeras ajudaram a estabelecer a hegemonia comercial e marítima fenícia.

O comércio de escravos propiciava grandes lucros; muitos, porém, eram trazidos para a Fenícia a fim de trabalhar nas oficinas de artesanato. Os fenícios descobriram onde e como obter materiais raros para a época, como o cobre e o estanho. Dado o aumento de sua densidade populacional, os fenícios fundaram colônias na orla do Mediterrâneo, as quais funcionavam como entrepostos de comércio e abastecimento. As mais conhecidas colônias fenícias foram as cidades de Cartago, no Norte da África, e Cádiz, na Espanha.
Os fenícios detiveram a hegemonia comercial do Mediterrâneo (talassocracia) e foram sérios concorrentes dos gregos, etruscos e romanos.

A grande massa da população fenícia era constituída de marinheiros e artesãos pobres, os quais trabalhavam em função de uma classe rica que vivia do comércio marítimo. Essa classe de mercadores definha não só o poder político das cidades-Estado, mas também a riqueza e o controle das atividades comerciais. Os escravos e mercenários eram facilmente conseguidos nas viagens pelo Mediterrâneo; enquanto os primeiros trabalhavam como remadores ou artesãos, os segundos protegiam as naus e as muralhas das grandes cidades-portos

A religião dos fenícios

Na Fenícia, como na Mesopotâmia, o politeísmo adquiriu feições sanguinolentas. Os sacrifícios humanos eram comuns. Cada cidade possuía um Baal (deus) protetor: Melcart, em Tiro; Adonis, em Biblos; e Eshum, em Sidon. Cartago tinha como protetor Moloc. Os fenícios [ossuíam ainda divindades menores protetoras do comércio, das rotas, dos navios etc.

O alfabeto

Os fenícios desenvolveram o alfabeto em função de suas atividades comerciais.

Além das técnicas de navegação e dos conhecimentos geográficos, provenientes da exploração das rotas marítimas, os fenícios trouxeram um fator de inegável valor para o progresso da humanidade. A partir dos ideogramas egípcios, desenvolveram um alfabeto fonético de 22 letras, que mais tarde foi adaptado pelos gregos e romanos. Provavelmente fizeram isso buscando simplificar as operações comerciais, uma vez que não deixaram no campo literário, ou em qualquer outra atividade artística, nada que mereça ser lembrado.

Helenismo



No ano de 338 a.C., na Guerra da Queronéia, a Grécia foi derrotada pela Macedônia. Houve a perda da autonomia político-territorial da Grécia.

O helenismo refere-se ao conhecimento filosófico produzido entre a morte do Alexandre e o início da filosofia medieval.

Principal característica do helenismo: fusão entre a tradição grega e a cultura oriental. Disseminação do pensamento grego pela região da Síria, Egito, Babilônia, etc.

Principais pensadores do helenismo: Plotino, Cícero, Zenão e Epicuro.

O conhecimento produzido pela ciência do helenismo se desenvolveu em diferentes direções: matemática, geometria, astronomia e geografia. Os filósofos helenistas estavam preocupados com a ética (regras da condução de vida), busca pela felicidade individual, imperturbabilidade.?


Principais perspectivas do período helenístico:

1- NEOPITAGORISMO: retomada do pensamento de Pitágoras, sobretudo de sua concepção espiritualista (imortalidade da alma, reencarnação, harmonia espiritual com o cosmos). Oposição ao materialismo.

2- NEOPLATONISMO: Plotino (205-270) conhecemos a vida e o pensamento de Plotino a partir da obra “Vida de Plotino”, escrita pelo seu discípulo Porfírio. Característica central do neoplatonismo: conciliação entre o pensamento de Platão e o pitagorismo com alguns traços da cultura oriental.

3- ESTOICISMO: Teve Zenão de Citio como seu fundador, em 300 a.C.. Para o estoicismo a filosofia seria composta de três partes: física, lógica e ética. Acreditavam numa estreita relação entre o indivíduo (microcosmos) e o universo (macrocosmo).

4- EPICURISMO: perspectiva filosófica fundada por Epicuro. Assim como o estoicismo, buscavam a felicidade individual, mas discordavam quanto ao caminho pra isso.


Periodização

O helenismo marcou a transição da civilização grega para a romana, em que inoculou sua força cultural. Não se encontra nela o esplendor literário e filosófico do período áureo da Grécia, mas divisa-se um grande surto da ciência e da erudição.

Chama-se civilização helenística a que se desenvolveu fora da Grécia, sob influxo do espírito grego. Esse período histórico medeia entre 323 a.C., data da morte de Alexandre III (Alexandre o Grande), cujas conquistas militares levaram a civilização grega até a Anatólia e o Egito, e 30 a.C., quando se deu a conquista do Egito pelos romanos. Grande parte do Oriente antigo foi então helenizado e assistiu-se a uma fusão da cultura grega, revitalizada nas áreas conquistadas, com as tradições políticas e artísticas do Egito, Mesopotâmia e Pérsia.

Depois da morte de Alexandre, a transmissão da cultura grega persistiu nos grandes centros urbanos, embora sofresse influência dos costumes orientais. A tentativa de Antígonos, um dos mais antigos generais de Alexandre, de manter intacto o império conquistado pelo guerreiro macedônio, fracassou após a Batalha de Ipso, na Frígia (302 a.C.). A partilha do império foi feita entre três generais: Seleucos I Nicator, Ptolomeu I e Lisímacos.

As lutas, entretanto, continuaram, e vinte anos depois o império foi dividido em três estados independentes: o reino do Egito ficou com os Lágidas, descendentes de Ptolomeu; o da Síria, com os Selêucidas, descendentes de Seleucos; e o da Macedônia coube aos antigônidas, descendentes de Antígonos.

Alexandria, no Egito, com 500.000 habitantes, tornou-se a metrópole da civilização helenística. Foi um importante centro das artes e das letras, e a própria literatura grega tem uma fase chamada "alexandrina". Lá existiram as mais importantes instituições culturais do helenismo: o Museu, espécie de universidade de sábios, dotado de Jardim Botânico, Zoológico e Observatório Astronômico; e a Biblioteca, com 200.000 volumes, salas de copistas e oficinas para preparo do Papiro. O Reino Egípcio só terminou com a conquista de Otavius, no reinado de Cleópatra.

O reino da Síria abrangia quase todo o antigo império persa até o Rio Indo. A capital era Antioquia, outro grande centro da cultura helenística, perto da foz do Orontes, no Mediterrâneo. Os selêucidas, entretanto, não puderam manter a unidade de seu vasto império, que acabou conquistado pelos romanos no século I a.C.

Já o reino da Macedônia teve de enfrentar a luta das cidades gregas, ciosas da defesa de sua autonomia, e acabou incorporado ao Império Romano. Do ponto de vista cultural, o período compreendido entre 280 e 160 a.C. foi excepcional.


Cultura

Tiveram grande desenvolvimento a história, com Polibius; a matemática e a física, com Euclides, Eratostenes e Arquimedes; a astronomia, com Aristarcus, Hiparcus, Seleucus e Heráclides; a geografia, com Posidonius; a medicina, com Herofilus e Erasistratus; e a gramática, com Dionisius Tracius. Na literatura, surgiu um poeta extraordinário, Teocritus, cujas poesias idílicas e bucólicas exerceram grande influência. O pensamento filosófico evoluiu para o individualismo moralista de Epicuristas e Estóicos, e as artes legaram à posteridade algumas das obras-primas da antigüidade, como a Vênus de Milo, a Vitória de Samotrácia e o grupo do Laocoonte.

À medida que o Cristianismo avançava, o helenismo passou a representar o espírito pagão que resistia à nova religião. O espírito grego não desapareceu com a vitória dos valores cristãos; seria, doze séculos depois, uma das linhas de força do Renascimento.

Realeza Romana


Quando Roma surgiu, em 753 a.C. (data tradicional), tinha um regime monárquico-aristocrático de governo. As origens da cidade são lendárias. O poeta Virgílio conta na Eneida que os romanos descendiam dos troianos. Diz que Enéas sobreviveu à destruição de Tróia e com seus amigos cruzou o Mediterrâneo em direção à Planície do Lácio. Seus descendentes teriam fundado Alba Longa e depois Roma.

Historicamente, a interpretação mais plausível diz que Roma era uma povoação de origem albana, construída às margens do Tibre para defender a região das incursões dos etruscos, que habitavam ao norte do Lácio.

A economia era baseada na agricultura e no pastoreio. A sociedade era representada pelos patrícios, que formavam os grandes proprietários; os clientes, parentes pobres dos patrícios, a quem prestavam alguns serviços e de quem recebiam proteção; e os plebeus, que representavam os estrangeiros, artesãos, comerciantes, pequenos proprietários e trabalhadores rurais.

Toda a história romana durante o período monárquico é baseada em lendas. O Rapto das Sabinas conta a integração com os sabinos, vizinhos de Roma. A luta dos Irmãos Horácios contra os Curiácios refere-se à vitória de Roma sobre Alba Longa. A existência de sete reis, dos quais dois eram latinos, dois sabinos e os três últimos etruscos, mostra que Roma foi dominada pelos etruscos. Finalmente, a lenda da casta Lucrécia, virtuosa romana violada pelo filho do último rei etrusco, Tarqüínio, o Soberbo, justifica, em termos morais, a queda da Realeza e a proclamação da República.

Concretamente, a expulsão do rei etrusco não está ligada ao fato de ser etrusco e sim a seu absolutismo. Até ao advento dos reis etruscos, Roma era governada por soberanos que dependiam do Conselho dos Anciãos, órgão composto exclusivamente por patrícios. Suas decisões eram aprovadas pela Assembléia Tribal ou Curiata (patrícios e plebeus). Os reis etruscos marginalizaram o Conselho, governando de forma despótica. Por isso, na primeira oportunidade, os patrícios depuseram o rei e implantaram a República, com um regime essencialmente aristocrático (509 a.C).

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Renegados da ciência, heróis do futuro: Paul Pantone.


Motor Paul Pantone, Paul misturado à gasolina com água em circuito fechado, forçando os gases resultantes passam pelo calor do tubo de escape, e estes, por sua vez por um tubo onde dentro havia um aço inoxidável, transformando resultando num gás de plasma para funcionar o motor e a redução do consumo e poluição. Em 2002, ele foi considerado culpado de fraude. Era apenas o primeiro de uma série de julgamentos confusos: por exemplo, a empresa de melhores tecnologias mundiais, especializada na venda de soluções de energia pseudocientíficas e supostamente milagrosos, ele começou a comercializar o motor Pantone, alegando ter adquirido o fim da patente Pantone sempre negou.
Existe uma conspiração da parte dos lobby's pró companhias petrolíferas ou dos Estados contra o Gerador de Hidrogénio?

O "motor" Pantone descrito nos sites das teorias da conspiração (1) é um pote catalítico de água que produz bolhas de hidrogénio, são injetadas na alimentação do ar dos motores dos automóveis ou tratores agrícolas a que se retiram o conversor catalítico do tubo de escape, e aparentemente permite cerca de 50% de economia em gasóleo, funciona nos motores a quatro tempos também, o Pantone pode ter inúmeras aplicações e funciona com todo tipo de água, este sistema pode ser adaptado a todos os motores de explosão, aparentemente é sem perigo de implosão, o gerador de hidrogénio pode ser fabricado e utilizado em casa também, o objetivo é de separar o hidrogénio da água para ser utilizado como combustível, princípio da eletrólise:

Em duas palavras; "andar a água" ! em vez de "andar a gasolina", é possível…
Custo da instalação do Pantone num automóvel 1.000 €.


O gerador de hidrogénio (HHO) pode ser utilizado para aquecer água, soldar, fazer funcionar pequenos motores. Tem sido boicotado em geral por razões óbvias, as pessoas que o utilizam não pagam impostos sobre os carburantes aos Estados, estes geradores de energia a água estão proibidos no Japão, desconheço se alguém os utiliza em Portugal? Mas na França desde 2005 que foi noticiada na TV a sua utilização nos motores de veículos.

O inventor deste sistema; "processeur multi-carburants Geet" é Paul Pantone (USA) registou a descoberta para utilização livre internacional (US005794601A1), Paul Pantone foi condenado por fraude devido a queixas de pessoas não contentes com o Motor Pantone, se não foram oficialmente reconhecidas as economias deste sistema adicionado aos motores a gasóleo ou gasolina noutras aplicações essenciais como aquecimento de água, soldar, produção de calor e talvez simplesmente "cozinhar a água" me parecem reais e aplicáveis.

Estranhamente o Motor Pantone na Wiki só se encontra aparentemente em francês:

(...) La technique Pantone consiste à modifier l'alimentation en carburant du moteur à explosion (essence ou diesel), elle est censée permettre une forte réduction de pollution et une importante économie de carburant, en remplacement ou en adjonction du produit de la pyrolyse de vapeur (essence, eau, etc.). Cependant, aucune étude scientifique, aucune publication n'a permis de démontrer la réalité des performances annoncées.

Para concluir direi que como o indica Patrick Biron nos seus três vídeos para fazer funcionar o Gerador de Hidrogene (HHO) é necessário corrente eléctrica, mas este sistema permite teoricamente no futuro a criação dum mecanismo perpetuo de produzir energia que se auto alimenta sem fim.

A História da Repressão

Paul Pantone nasceu em 1950 em Detroit, Michigan. Ele e sua família se mudou para o sul da Califórnia em 1959. Pantone mudou-se para a área de Placerville do Norte da Califórnia, em 1972. Em 1975, Paul conheceu uma pessoa incomum que, eventualmente, lhe confiou os planos básicos para GEET. Pantone foi ordenado a dar sempre uma parte de tudo o que ele fez de GEET de volta para a humanidade.

Em 1983, a Pantone criou seu primeiro motor GEET. Em 1984, um jornal local escreveu uma história sobre Paul Pantone e GEET. No dia seguinte Paulo foi avisado de que alguém estava prestes a apagar os registros da Pantone no IRS. O objetivo era enquadrar Pantone por sonegação de impostos e confiscar tudo. Paul foi discretamente mostrado por um amigo o que fazer para evitar que a falsa operação policial, e as técnicas trabalhadas.

Ao longo de muitos anos Pantone fez uma série de tentativas de introduzir GEET para organizações sem fins lucrativos, apenas para descobrir que nenhum deles realmente queria apoiar soluções como esta. Amigos de Paul Pantone também entraram em contato com importantes organizações ambientais e de direitos civis para pedir apoio de defesa legal para ajudar a Pantone em sua situação atual. Para a maior parte, os fundamentos de amigos de Paul caíu em ouvidos surdos.

Em 1985 Pantone e GEET foram destaque no noticiário da noite. Paul começou a receber ameaças no dia seguinte.
De acordo com a Pantone, "mais tarde naquela manhã um representante de uma empresa de petróleo estrangeiro telefonou e disse-me terminantemente a deixar a indústria automotiva sozinho ou eles estariam dispostos a pagar milhões para ter a mim e a minha família morta."

O repórter que cobriu a história de Paul também foi ameaçado. Paul foi avisado quem nunca mais as estações de TV transmitiriam ou cobririam novamente seu trabalho, mesmo se ele pudesse andar sobre a água. Mais tarde, Paulo encontrou os cabos do freio cortados em seu carro. Em outro incidente, bananas de dinamite foram jogadas enquanto ele estava dirigindo.

Pantone foi avisado por funcionários de Qualidade do Ar da Califórnia que ele iria para a cadeia se instalasse o GEET em carros. Paul foi informado de que ele poderia receber uma licença da Califórnia para a I & D se ele iria enviar-lhes o modelo de trabalho e permitir-lhes a entender o que ele estava fazendo. Pantone declinou como já havia ocorrido uma série de tentativas de roubo de tecnologia GEET. Ele não tinha garantias adequadas de que os indivíduos no governo do estado não iria tentar fazer o mesmo, se ele lhes deu a chance.

Recursos financeiros de Paulo Pantone foram vigorosamente atacados. Desde 1982 Pantone tinha sido a acumulação de riqueza como um empreiteiro, aquisição e melhoria imóveis em dificuldades. Ele vendeu algumas de suas propriedades melhoradas para o lucro e outros alugados.

Em 1990, ele tinha melhorado mais 178 casas e possuía 50 imóveis para alugar. Em seguida, coisas estranhas começaram a acontecer. Casas vazias foram vandalizados. As companhias de seguros se recusou a pagar por danos, alegando sua política tinha expirado. O dinheiro foi desaparecendo misteriosamente de suas contas. Os bancos estavam em negação. Sete milhões de dólares foi embora em um mês. Pantone tinha dois cursos dentro de uma semana. Ele deixou para ficar com seu pai e se recuperar. Ele não tem os recursos para lutar contra os advogados vicioso de bancos poderosos.

O objetivo era fazer com que Pantone no tribunal de falências e tomar o controle de GEET. Pantone literalmente perdeu todas as suas propriedades, mas Paul foi capaz de salvar a tecnologia GEET do esquecimento.

Este grupo de FFA (Future Farmers of America) estudantes de Hanson High School (Hanson, CA) tomou um conjunto de planos pequeno motor e construiu um motor pequeno GEET trabalhando em pouco menos de quatro (4) horas!
Trouxeram-lo à Conferência GEET 1999 realizada em Tulare, CA, onde Paul demonstrou alguns dos pontos mais delicados da tecnologia GEET!

É afirmado por certos funcionários da prisão institucional de Utah ligados a Paul Pantone que o sistema judicial de Utah  é disfuncional e o colocou, longe da vista do público, em sua prisão instituição mental (Unidade de Utah State Hospital Forense). Está também é a afirmação dada pela família e apoiantes que eles não tinham razão legítima para segurá-lo, mas eles afirmam que ele é incompetente.

A prova disso pode ser visto em entrevistas que foram feitas por seu filho David Pantone. Paul Pantone tinha anteriormente NO DATA DE LANÇAMENTO. Ele pode ser fundamentado que ele foi detido ilegalmente por três anos, e os funcionários de Utah que fizeram valer a sua prisão mostraram nenhuma intenção de rever o seu caso, ou dar-lhe qualquer exame de competência legítima.

É consensual para sua família e apoiantes que Paul Pantone tinha sido injustamente preso e torturado por três anos no Hospital Estadual de Utah e que ele ainda é vítima de violações do direito civil, criminalizado ilegalmente, vitima de práticas médicas ilegais e sabotagem de seu trabalho.

Inventor injustamente preso por mais de 3 anos Parte 1.
Paul Pantone Entrevista, final de janeiro de 2009: Nenhuma ajuda para pacientes USH.

Estas entrevistas descrevem como inventor Paul Pantone é dito ter sido ilegalmente arrastado para um sistema corrupto judicial de Utah para mais de três anos na unidade forense Hospital Estadual de Utah (prisão, ala mental). Paul Pantone é um homem competente, com grande inteligência e visão sobre o universo científico. Ele sofreu um grande dano à sua saúde causado pelo Estado.

David Pantone está empenhado em ajudar o pai. David acredita que assim como muitos outros que Paul Pantone foi injustamente detidos e torturados no Hospital Estadual de Utah. David foi contatado por um homem que esteve recentemente na USH com seu pai. David entrevistou este homem sobre a sua experiência sendo abusiva, uso de medicação sem necessidade e tendo suas reclamações ignoradas pelo USH.

Paul Pantone discute corrupção no sistema legal Utah

Injusto encarceramento- Paul foi preso por acusações duvidosas em janeiro de 2006, e manteve presos por mais tempo do que era suposto ser. Graças a doações de apoiadores não havia dinheiro suficiente elevado para contratar um advogado para Paul, a partir de maio de 2009, ele foi finalmente soltou.

GEET Motor inventor, Paul Pantone retorna ao F2f para uma entrevista exclusiva sobre esta versão, após 3,5 anos de ser forçado  a ser admitido numa instituição mental depois de ser criminalizado pelo estado de Utah.


Paul ainda tem muito para dar ao mundo, ele já deu mesmo estando afastado seus planos livremente para cobrir uma parte da tecnologia para o mundo. Este movimento resultou em inúmeras emissões fora da estrada e um alívio de um fardo econômico por muitos no país da França, onde os ganhos de 20% e 31% foram relatados pelos relatórios dyno nos noticiários franceses.

Por favor, ajudem e transmite essa informação para o maior número possível de pessoas. Amigos, Rádio, notícias de blogs, fóruns etc, se você pode fazer o seu pouquinho, podemos progredir e ajudar Paul Pantone a ampliar o uso de sua tecnologia.

Amigos e família

Farto de bloqueios geet de burocracias Califórnia e vendo nenhuma maneira que ele poderia trazer a sua invenção ao mercado no estado dourado, Pantone decidi tentar de novo em outro lugar. Paulo escolheu se mudar para Utah, em 1994, para que ele também pudesse viver mais perto de um de seus filhos. 


Desde 1983, Paul Pantone tem tido grande dificuldade pastorear várias empresas que levam o nome GEET. Estes incluem GEET, o GEET Trust, GEET, LLC, Gestão GEET, LLC, GEET Research, e, finalmente, GEET Corp. Pantone teve que substituir gestão várias vezes quando delitos foram cometido contra GEET e seus apoiadores.

É claro que alguns investidores inocentes foram feridos. Alguns clientes do GEET Inc. produtos não estavam satisfeitos com o que receberam. Também é claro que Paulo estava contra indivíduos poderosos determinados a explorar suas fraquezas, capacitar-se, reunir detratores, mal a ninguém em seu caminho, a culpa em Paul quando poderiam, aproveitar o que eles queriam, deliberadamente enganar Paul em erros financeiros graves, extorquir milhares sempre que possível e destruir Pantone se ele resistiu. 

Seja qual for a porção era responsabilidade de Paulo a respeito da má gestão dos GEET Inc que levou à sua prisão, Pantone estava mal preparado para o que ele estava enfrentando. Paul fez um grande esforço para a direita cada erro que podia em grande despesa pessoal e tem mais do que pagou suas dívidas em sofrimento humano.
Futuro de Paul pode muito bem ser decidido neste Tribunal. Nos últimos seis meses, muitos de nós já assistiu audiência depois de ouvir como testemunhas silenciosas na Galley tribunal.

A primeira vez que apareceu em julho de 2006, o juiz estava atordoado e atrasou seu julgamento.

Os juízes não gostam de testemunhas, especialmente quando se tomam decisões pobres, possivelmente ilegais,!

A Conspiração Poderosa

No ano de 2000, ocorreu um incidente que mudaria para sempre o curso da vida de Paul. Foi oferecido a Paul Pantone muitos milhões de dólares por um indivíduo poderoso para vender seus direitos do GEET. Paul estava claramente sendo ameaçado que haveria consequências graves para o seu futuro, se ele não o fizesse. "Pegue o dinheiro, Paul", foi-lhe dito: "É muito mais fácil para nós apenas levá-lo para fora da equação." Paul Pantone recusou e uma armadilha foi definitivamente armada.

Coisas que em breve virar muito para GEET Corp. e Pantone. Investidores ávidos rapidamente apareceu em cena oferecendo para resgatar GEET com uma infusão de capital após um ex-gerente GEET havia desviado da empresa. Novos parceiros de GEET Corp preenchido conta bancária da empresa com dinheiro do empréstimo a partir de suas contas no exterior e, em seguida, passou a gerir a empresa e estripar as contas bancárias como quisessem. Paul não tinha conhecimento do que estava ocorrendo. Ele estava tentando ficar fora da gestão diária da GEET Corp. controle da empresa tinha sido dada aos parceiros "especialistas" para que Paul poderia gastar todo o seu tempo no ensino e na pesquisa.

Paul tornou-se ciente de que a reputação de GEET estava começando a sofrer de má gestão de clientes. Os parceiros entregou o controle de GEET Corp. a Pantone e Pantone inconscientemente aceitou. Pantone não estava ciente das responsabilidades civis e criminais que seus parceiros haviam planejado para ele. Desde contas eviscerado da corporação estavam agora em má forma, Pantone foi dito que ele poderia pagar de volta empréstimos parceiros, emitindo alguns novos certificados de ações GEET Corp que seu parceiro advogado havia criado. Parecia uma forma simples de um local apertado. Caindo na armadilha de confiar no parceiro advogado, Pantone cumprido.

Depois que os certificados de ações foram emitidas, os sócios, incluindo o sócio advogado, fui ver o fraude procurador geral do estado chorando por Paul Pantone. Eles haviam criado propositadamente certificados de ações fictícias para prender Pantone. Desde Pantone agora controlado GEET Corp, os conspiradores queriam ter Paul Pantone responsabilizada por fraude de títulos. Falsas acusações também foram feitas de que Pantone prometeu controle total de patentes da geet para várias pessoas simultaneamente. Demorou anos para o caso de fraude de títulos de trabalhar o seu caminho através do sistema judicial Utah.

Pantone, agora destituídos e cauteloso de batalhas judiciais, era forte armada por seu advogado a aceitar um acordo judicial em outubro de 2004, sobre as acusações de fraude de valores mobiliários de uma sentença de quatro meses. O advogado de Pantone disse que Paul e sua esposa, ambos vão para a cadeia por um tempo muito longo, se ele não aceitar o acordo. Pantone, sabendo que ele era inocente, disse ao juiz que ele estava aceitando essa barganha sob coação de seu próprio advogado. Quando questionado sobre Pantone-billing por seu advogado nestes processos em curso, o advogado ameaçou que Pantone seria repudiada por dois anos no hospital psiquiátrico e encarcerado para o resto de sua vida se ele não pagar até o montante de US $ 25.000. 

A tragédia pessoal

Março 2005 foi um mês difícil para Paul Pantone. Ele perdeu uma audiência no tribunal depois que ele desmaiou de estresse excessivo e exposição ao monóxido de carbono. Sua terapeuta apresentou uma carta ao tribunal afirmando por isso que Pantone não poderia comparecer ao tribunal na época. O advogado de Pantone usado audiência pelas costas de Paul como uma oportunidade de apresentar uma moção questionando a competência da Pantone. 

Oficiais do Tribunal

Um mandado de prisão contra Pantone foi emitido depois que não comparecer a uma audiência judicial em estado julho de 2005. Pantone diz que seu advogado não informá-lo sobre a audiência até vários dias depois da data prevista. O advogado alegou que ele tinha tentado chamar Paul vários dias antes da data de corte, mas registros telefônicos mostraram que ele não teve. O juiz recusou-se a recordar o mandado.

O estado realizou avaliações psicológicas de Paul Pantone em outubro e novembro de 2005. Em 31 de outubro de 2005 um psicólogo estados, ela foi capaz de usar uma única avaliação 75 minutos como seu único meio de determinar que Paul Pantone era incompetente. Psiquiatras profissionais concordam que uma avaliação desta natureza requer um mínimo de três a cinco dias.

Na próxima audiência Pantone tinha adquirido um novo advogado, que caiu sob a influência do antigo. Relatórios de Competências com dados enviesados ​​dos psicólogos do Estado foram apresentados ao juiz. Os psicólogos disseram Pantone estava delirando por afirmar que ele poderia usar sua GEET para executar um motor com combustível a base de água. A questão não foi levantada a respeito de como um psicólogo pode ser sequer remotamente qualificado para avaliar adequadamente o desempenho de GEET. Eles também alegaram Paulo foi incompetente por não ser capaz de obter junto com seu advogado, de acordo com o Código de Utah 77-15-5. Nos termos desta lei, quando você já não confio em você e você se torna advogado relutantes em trabalhar com ele, você pode dizer que tem um transtorno mental delirante ou paranóico e você pode ser posto de lado. O tribunal não precisa de considerar o quanto o seu advogado de confiança realmente merece. 

Em Custódia do Estado

A locomotiva imparável de injustiça burocrática foi desencadeada. Pantone estava indo para a prisão, onde rumores seria flutuou que ele era um pedófilo. Pantone iria receber "tratamento especial" de presos e guardas. Ele foi espancado.

Pantone foi duplo reservado. Primeiro, eles enviado ele para a cadeia do condado onde atuou a maior parte de seu "de acordo" sobre o tempo fraude de títulos de quatro meses. Então, depois de três meses e meio e esperando um lançamento em breve, ele estava em vez transferido para o hospital psiquiátrico março 2006, sem prazo fixado, como o tribunal ainda afirma que ele ainda não é competente para receber a sentença. Foi descoberto que este último advogado que deturpou Pantone tinha um emprego a tempo parcial, com um salário de, você adivinhou, o escritório do procurador-geral de Utah. Em Utah, quando seu advogado coloca você para longe, onde está sua defesa?

No hospital, Paul foi dito, "Mr. Pantone, você é delirante. . . e vamos consertar você. "

Quando se trata de lei, Utah é um estado pequeno. Os juízes e os advogados de todos se conhecem. Quando um juiz, colega advogado ou procurador, regras ou atos contra a lei, os bons velhos garotos "legais" do Utah raramente agir para considerar as pessoas responsáveis ​​por crimes no tribunal, mesmo quando um cliente como o Pantone está exigindo que, em sua luta desesperada pela liberdade. 

Através de uma série incessante de audiências estado frustrantes desde março de 2006, os tribunais têm repetidamente negado Utah Paul Pantone seu direito constitucional de representar a si mesmo. O tribunal também negou Pantone seu direito constitucional de ter um amigo experiente do tribunal representá-lo, porque amigo de Pantone não é um advogado BAR certificada em Utah.
O GEET Volkswagen Conversão fez sua estréia na Conferência de Pesquisa Exotic 1999, em Mesa, AZ. Apesar de relativamente barato, VWs mais velhos vomitou enormes quantidades de poluição. O convertido GEET reduziu significativamente poluentes em 50%!

A Luta pela Mente de Paul

Psiquiatras do estado recomendaram três meses de medicação forçada a restaurar Paulo a "competência" mesmo que admitir que eles não têm registros hospitalares para documentar o tempo que pode levar para o seu tratamento proposto para o trabalho, se em tudo. Essa declaração dá ao Estado uma cláusula para manter Pantone drogado e encarcerado por toda a vida, se assim o desejar.

O tribunal rejeitou dois evals psych mostrando Pantone para ser competente, enquanto ele estava na prisão. O tribunal também rejeitou uma avaliação psicológica mostrando Pantone para ser competente do Dr. Wilfred Higashi. Dr. Higashi era terapeuta de Paulo por 10 anos e é bem respeitado como o ex-chefe de saúde mental para o estado de Utah. O Estado alegou que psych eval de Higashi foi tendenciosa porque Higashi tinha um interesse financeiro em GEET.

Dr. Higashi diz que não sabia se os certificados Pantone lhe deram eram bons. Ele não parece importar para ele. Elas foram dadas como mais de um pagamento simbólico para a terapia em um momento em Pantone estava sofrendo financeiramente. Higashi diz que seu relacionamento de 10 anos com Paul Pantone foi principalmente como um conselheiro matrimonial. Higashi diz que não vê grandes problemas que justificam Pantone estar no hospital do Estado. Higashi também diz que esta é definitivamente uma conspiração de pessoas que ele conhece para arruinar Paulo e obter o controle de GEET. Higashi também diz que pacientes do Hospital Estadual de Utah foram overmedicated. Eles saíram zumbis com discinesia tardia. Ele diz que as drogas que eles planejaram para Paul Pantone são susceptíveis de ter esse efeito sobre ele. 

O tribunal Utah recusou-se a reconhecer a sua própria falta de competência nesta matéria como corporação de Pantone sob escrutínio títulos foi baseada em Nevada. O tribunal também está escolhendo ignorar que a fraude supostamente cometida realmente ocorreu em Idaho. 

Um juiz federal em Utah recusou-se a perturbar o status quo e rejeitou petições para corrigir estas questões. Vários advogados de defesa certificadas Utah e defensores públicos foram demitidos ou sair no decorrer deste caso fracassem nova resolução. Alguns foram demitidos por negligência ou quando o conflito de laços de interesse para o Ministério Público foram expostos, ameaçando seriamente uma defesa eficaz para Pantone. Outro defensor público deixou o seu escritório de advocacia, abandonou todos os seus casos, e desapareceu, menos de dois dias antes de uma audiência de status para Paul.

Paul Pantone foi destaque em jornais de Phoenix e em noticiários de TV na Conferência de Pesquisa Exotic 1999, em Mesa, AZ. Ele demonstrou um número de diferentes dispositivos GEET incluindo o Volkswagen GEET, sua suburbana, um gerador GEET, e um pequeno motor de demonstração! 

Perseguidos ... mas Perseverante

No sábado, 27 de janeiro de 2007. Os pés de Paul ter quebrado os ossos que continuam a apodrecer. Ele precisa desesperadamente de cirurgia ortopédica. Ele está esperando por meses. Fraco e dolorido, ele mal consegue andar. Uma bateria rola na frente dele em seu caminho para jantar no hospital psiquiátrico. Ele tropeça e cai em seu rosto. Uma tampa sai um dos poucos dentes intactos que ele deixou. Felizmente, sua boca está agora paralisado para o momento. Mais tarde, ele brinca com seu irmão sobre isso brevemente ao telefone. Seu irmão, vários estados de distância, sendo seu único contato direto com o mundo exterior.

A história está cheia com a pilhagem, a sabotagem, a negligência, a perseguição e apagamento dos inventores chave e cientistas que trabalham em tecnologias cruciais para o nosso futuro. O custo para a humanidade na ciência e na tecnologia perdida não é bem conhecida e tem sido absolutamente desastroso. Nikola Tesla foi impedido de trazer energia sem fio gratuita para o público no início de 1900. As vidas de centenas de milhões foram desnecessariamente curto e arruinado por causa da perseguição implacável AMA da Royal Rife e sua incrível tecnologia de 1930 para tratar o câncer. Pesquisa promissora de Philo T. Farnsworth para a fusão eletrônico foi parado frio por uma aquisição empresarial na década de 1960. Estes são apenas alguns exemplos significativos.

O que é diferente no caso Pantone é a formação de um pequeno e dedicado, o crescimento da grama raízes coligação para libertar Paul Pantone. Homens como Tesla, Rife e Farnsworth nunca teve nada parecido com isso. 

A coalizão Pantone é agora conhecido como o Projeto Paul Pantone Defesa. Como essa coalizão de ativismo ciência raízes da grama cresce e evolui, torna-se uma força contrária cada vez mais eficaz para proteger, defender e capacitar-chave negligenciada ou perseguidos cientistas e, no processo, esperemos que mudar o nosso futuro para melhor. Sua missão é simples. Salve os inventores. Salvar o mundo. Fazer uma diferença real. 

Através de seus esforços e os esforços de mais para vir, um segmento crescente do público vai começar a realmente apreciar este conceito, entende o que está em jogo para todos nós, e dar de si mesmos por meio de projetos como este em muitas maneiras criativas para capacitar este movimento. Você não tem que ser um grande cientista, a fim de resgatar um grande cientista.

O nosso governo, grandes empresas, instituições de ensino e as principais ONGs demonstraram claramente uma fuga avassaladora de apreciar de forma significativa e apoiar muitos inventores e cientistas sofrimento chave fora do mainstream da pesquisa acadêmica Corpo-ortodoxa. Poderia um amadurecimento movimento popular de extraordinárias ativistas ciência, eventualmente, trazer essas instituições ao redor e impedir a destruição parasitária de grande ciência e grandes cientistas?

Projeto Paul Pantone Defesa

Até recentemente, Paul Pantone foi condenado a uma defesa excruciante de defensores públicos sobrecarregados mal equipados. O Projeto Defesa prestou apoio moral e físico para Pantone no hospital mental. A equipe também criou um site independente para conseguir apoio, narrar a batalha judicial e apresentar dados e pesquisas validando a eficácia do GEET. O Projeto entrou com seus próprios movimentos habeas corpus a chorar "jogo sujo" para os tribunais. O projeto patrocinou uma campanha de rádio de sucesso Utah para incentivar mais o público a se envolver e participar de audiências judiciais Pantone.

Como nós vamos pressionar, o Projeto Paul Pantone Defesa garantiu e financiado um advogado ético, independente, experiente defesa sem medo de assumir a injustiça corrupto em Utah. Datas de corte Próximos estão agora em fluxo. Mais financiamento é necessário para a defesa legal, então a equipe está chegando à imprensa, para obter essa história coberta, e incentivando o público a participar. A maré está virando para libertar Paul Pantone.

Defesa de Paulo Pantone é apenas o começo. A equipe está determinada a evoluir-se em uma força eficaz para proteger outros inventores e cientistas-chave no futuro. Qual a diferença que pode fazer. Esperamos informar-vos ainda mais em relação a este processo, em edições futuras da tecnologia Extraordinária.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"O Homem inventou a máquina. A máquina, agora, quer fabricar homens. E se um dia saírem homens do ventre das usinas, também os úteros das mulheres gerarão homens-máquinas, sem coração, sem afeto, meros aparelhos de produção..."

Plínio Salgado.